O Corinthians vive uma era histórica no gol desde a chegada de Cássio Ramos em 2012. Deixando até Walter, para muitos o melhor goleiro reserva do futebol brasileiro, no banco, o time alvinegro ainda conta com grandes promessas surgindo a cada temporada no celeiro de Itaquera.

Após revelar goleiros como Júlio César, Danilo Fernandes e Wéverton recentemente, um novo nome surge e já caiu nas graças do torcedor: Matheus Donelli, eleito o melhor goleiro da Copa do Mundo sub-17 de 2019 (conquistada pela seleção brasileira) e que chegará a maior idade apenas em maio deste ano. 

  • Acompanhe análises, dados e curiosidades do Corinthians também no perfil da SCCP Scouts no INSTAGRAM e no FACEBOOK.

Na primeira lista da disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior do treinador Dyego Coelho, Donelli acabou sendo cortado de última hora após pedido de Tiago Nunes para fazer parte da delegação que viajou para os Estados Unidos na Florida Cup. Novato entre os profissionais, o goleiro pôde conviver com Walter e seu ídolo, Cássio. Em entrevista exclusiva ao SCCP Scouts, Matheus Donelli definiu a experiência como “um momento especial, de muita felicidade”.

“Poder vivenciar isso ao lado deles, compartilhar meu dia-a-dia. O Walter e o Cássio são espelhos pra mim, levo como inspiração. Eles são dois caras fenomenais, muito abertos em relação a informações, dicas, bate papo, então sempre que tô ali ao lado deles busco absorver ao máximo porque cada dica, cada palavrinha é muito importante pra mim e vai me agregar muito”, disse o jovem goleiro do Corinthians.

Falando ainda sobre o titular da meta alvinegra, Donelli revelou que é a sua maior inspiração dentro do futebol. “O meu ídolo e inspiração é o Cássio, um cara que eu levo como espelho e também admiro outros goleiros, com certeza”, comentou Matheus. 

“Admiro o trabalho que os goleiros brasileiros vêm fazendo na Europa, como o Alisson e o Ederson, Ter Stegen… Se eu for falar tem vários goleiros que me agradam, que eu procuro observar e absorver um pouco do que cada um faz. Mas quem eu levo como ídolo mesmo é o Cássio”.

Antes de ganhar uma chance na equipe profissional do Corinthians, o jogador chamou a atenção dos torcedores após conquistar a Copa do Mundo sub-17 em 2019. No torneio, acabou recebendo o prêmio de melhor goleiro da competição, sendo exaltado pelo clube e parabenizado por grandes nomes da história alvinegra, como Ronaldo Giovanelli e até Cássio, agora seu companheiro de equipe. 

“A conquista do mundial e o prêmio que eu ganhei de melhor goleiro com certeza mudaram muito a minha vida. O reconhecimento, valorização… Foi um momento muito especial na minha vida. Trabalhei muito pra ter essa oportunidade nesse momento e graças a deus eu e todos atletas e comissão fomos felizes, fizemos um grande trabalho e conseguimos fazer história”, exaltou Matheus Donelli. 

Matheus Donelli foi o melhor da Copa do Mundo sub-17 de 2019.
Matheus Donelli foi o melhor da Copa do Mundo sub-17 de 2019 (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

No elenco comandado por Guilherme Dalla Déa, o goleiro do Corinthians conviveu com jogadores que eram seus rivais nos torneios entre clubes da base. Um deles foi o atacante Gabriel Verón, hoje promessa do Palmeiras. Apesar da rivalidade, Donelli ressalta que o ambiente do grupo estava muito bom. 

“Apesar da gente ser rivais nos clubes, somos companheiros de seleção, todo mundo tem uma ótima relação e acredito que esse foi o principal também pra nós conseguirmos conquistar o título. Todo mundo se dava muito bem, o clima era leve, alegre, todo mundo se dava bem com todo mundo, então com certeza esse foi um ponto muito positivo e com certeza sempre rola aquelas resenhas, né? Um brinca com outro, brinca que ganhou do outro pela sua equipe, mas faz parte, é algo natural e saudável. Isso acaba sendo positivo pro ambiente do grupo”, afirmou. 

Escolha pela posição e a virtude de jogar com os pés

São raros os casos das crianças que deixam os gols de lado, que descartam o sucesso de um artilheiro e preferem defender a meta embaixo das traves. Apesar disso, Matheus Donelli se encontrou na posição quando ainda dava os primeiros passos na infância, mais precisamente aos cinco anos de idade, quando entrou para a escolinha de futebol do São Caetano.

Um ano depois, acabou indo para o time do Barueri e, duas temporadas depois, chamou a atenção do Corinthians, que acabou lhe convidando para atuar inicialmente no time de futsal, mas rapidamente viu o seu talento e o chamou para o campo.

“Eu acredito que quando você é dessa posição você já nasce, você já nasce goleiro e você acaba não escolhendo posição, ela que acaba te escolhendo, mas desde pequeno sempre fui muito ativo, gostava de pular e me jogar”, relembra Matheus Donelli, que também exaltou o apoio familiar que recebeu durante os anos iniciais da carreira.

“Nunca faltou apoio, suporte. Já passei por algumas dificuldades, complicações, cheguei a morar longe, meu pai já ficou desempregado, mas graças a deus isso não foi algo que me afetou e fez eu pensar em desistir. Sempre tive uma cabeça muito boa e as pessoas que estão me rodeando sempre fizeram o máximo pra me fortalecer”.

Inspirado por grandes nomes do futebol europeu como Alisson, Éderson e Ter Stegen, Matheus Donelli sabe da importância de saber jogar com os pés. Com o estilo pedido pelo treinador Tiago Nunes, o jovem goleiro afirmou que se prepara a fim de melhorar nesse quesito durante a experiência na equipe profissional.

“Acredito que seja uma das minhas virtudes. É um estilo de jogo que eu gosto, que treino bastante, busco sempre evolução, procuro melhorar para estar sempre em um bom nível. Com certeza hoje é um quesito que diferencia os goleiros, o jogo com os pés. Vale muito pra decisão de um goleiro”, ressaltou.

Matheus Donelli ainda afirmou que costuma assistir a muitos jogos de futebol do Brasil e da Europa. “Vejo muito futebol, vivo isso intensamente e é algo que nos agrega sim, claro. Tem que estar sempre de cabeça aberta a escutar, a receber informações novas e evoluir”, disse.

Em quarentena por causa da pandemia da Covid-19, Matheus Donelli afirmou que recebe grande apoio do Corinthians para manter os treinamentos em casa. “O clube tem passado trabalhos pra gente realizar aqui em casa. Na medida do possível, a gente vem fazendo nosso máximo, em busca de um bom trabalho. Tudo isso para conseguir manter uma boa forma física pra quando tudo isso passar estar bem preparado para a volta dos jogos e dos treinos”.

VEJA TAMBÉM:

SCCP Scouts entrevista Carlos Augusto: “Um time ofensivo destaca mais os jogadores”

Como Fágner cresceu com as chegadas de Tiago Nunes e volantes no Corinthians

Deixe uma resposta