Após quase duas semanas de paralisação, o NBB está de volta. Então, o basquete do Corinthians volta para o Sccp Scouts para uma cobertura especial de um jogo histórico. Assim, hoje falaremos sobre um dos maiores clássicos do futebol que também se estende para as quadras: o majestoso. O duelo Fuller x Shamell apimenta ainda mais esse jogo.

Devido a fase emergencial em São Paulo, a partida será disputada em Brasília, neste sábado (3), às 16 horas, no ginásio da ASCEB. O mando de quadra será do time alvinegro.

Apesar dos últimos confrontos não terem sido favoráveis ao Timão, a sequência recente de bons jogos pode mudar esse quesito. Fato é que o treinador Demétrius Ferraccíu finalmente encontrou a rotação ideal do alvinegro. Afinal, como anda o retrospecto? Veremos agora!

RETROSPECTO

Pode parecer estranho, mas Corinthians e São Paulo se enfrentaram pouquíssimas vezes no basquete recente. O tricolor paulista retornou à elite brasileira somente em 2019, após 29 anos longe. Já o Timão, similarmente ficou fora por um tempo, mas retornou para a maior competição nacional em 2018.

Em dois anos, tivemos apenas quatro jogos entre as equipes. Contudo, foram quatro vitórias para a equipe do Morumbi. O último jogo, talvez o mais preocupante, foi pelo placar 107 x 61. O Corinthians fez a menor pontuação em um único quarto de todo NBB essa temporada (8 pontos no 4º quarto).

Mas passado essa fase ruim, o Timão acumula seis vitórias nos últimos oito jogos. Enquanto o tricolor possui números parecidos, são cinco vitórias no mesmo período de oito jogos. Essa sequência de bons jogos anima o torcedor corintiano, afinal, uma das vitórias foi contra o Minas. Atual 2º colocado, e que era líder até poucas semanas atrás.

A TABELA

Liderados por Kyle Fuller, a equipe do Parque São Jorge ocupa atualmente a 6ª colocação do NBB. Garantido nos playoffs, a luta será para chegar ao top 4 e conquistar a folga na 1ª rodada. Contudo, três vitórias seguidas serão necessárias (contra São Paulo, Unifacisa e Campo Mourão). Além de torcer para cinco derrotas seguidas do atual 4º colocado, Paulistano, que possui dois jogos a menos.

Por outro lado, o time de Shamell Stallworth vive uma situação bem mais tranquila. Garantido no top 3 da tabela, o São Paulo folgará junto ao Flamengo e o Minas na 1ª rodada dos playoffs aguardando seu adversário.

A equipe corintiana sofreu e muito com a pandemia. Foram duas partidas (para o Minas e para o Fortaleza), perdidas por W.O após mais da metade do elenco testar positivo para COVID-19. Se tivesse ganho, viveria momentos mais tranquilos na tabela.

O QUE ESPERAR DO SÃO PAULO?

O tricolor é treinado pela lenda Claudio Mortari. Campeão Paulista pelo Corinthians em 1985, o treinador de grande experiência montou uma equipe definitivamente sólida. O quarteto Georginho, Shamell, Bennett e Lucas Mariano possuem o poder de desequilibrar qualquer confronto.

Não é atoa que o tricolor possui 20 vitórias em 27 jogos. Com uma média de 20 pontos por partida, Lucas Mariano é fortíssimo candidato a melhor jogador da temporada. Dessa forma, a equipe ainda soma a média de 90.2 pontos por partida, empatada com o Flamengo como a maior de todo NBB.

Outro ponto importante são os arremessos. O São Paulo possui uma média de 38.72% dos arremessos de 3 pontos convertidos por jogo, a 2ª maior da liga. Além disso, são 56.97% dos arremessos totais convertidos e 80% dos lances livres convertidos, ambos como 2ª maior da liga no quesito.

UM JOGO DURO

Para quem espera um jogo tranquilo, vai se decepcionar. É fato que, assim como em todos os jogos da temporada, o São Paulo vai pressionar e muito o Corinthians. Shamell deve ser a grande ameaça na linha dos 3 pontos. Enquanto Georginho buscará sua jogada típica: aproveitar o bloqueio do pivô Lucas Mariano e bater para dentro do garrafão buscando a bandeja.

Outro ponto importante é a defesa. A equipe sofre apenas 77.48 pontos em média, utilizando uma defesa homem a homem em maioria do tempo. A dupla do garrafão Bennett e Lucas Mariano são muito físicos, mas não velozes.

TODAS as partidas em que o tricolor perdeu na temporada foram por dois motivos bem claros. Georginho sendo muito pressionado fisicamente e jogando mal, além de um banco de reservas nada produtivo. Sem seu armador ativo e dominando o jogo, a equipe perde o foco e cansa.

E O CORINTHIANS?

Se quiser um resultado favorável, o Timão terá de ser ainda mais eficiente do que foi contra o Minas. Abusando de uma marcação individual para realizar um jogo mais físico e sufocar o perímetro, limitando os arremessos. A velocidade e intensidade também serão pontos chaves para um sucesso ofensivo.

O Corinthians também precisará selecionar bem seus arremessos e, para isso, precisará de uma grande atuação de “Zoom” Fuller. O armador e gringo da fiel é o 5º maior pontuador de todo NBB, com média de 19.88 pontos por partida.

A dupla Fuller e Fischer sem dúvidas é uma das mais eficientes de toda a liga. Juntos, somam quase 33 pontos por jogo e uma ameaça constante no perímetro.

COMO GANHAR?

Embora seja uma partida difícil, o Corinthians possui armas para ganhar. Além de Fuller, outro gringo pode fazer a diferença no confronto a favor do timão. O ala Malcolm Miller não apenas é destaque do time, mas de toda a liga por sua participação ofensiva.

Contratação vinda da Unifacisa em setembro do ano passado, está se tornando peça fundamental na rotação. Soma médias de 11.6 pontos e 4.3 rebotes por jogo e 44.55% nas bolas de 3 pontos. É fato que Miller precisa ser acionado cada vez mais no perímetro, permitindo essa ameaça a favor do Corinthians.

Ainda que a maior deficiência da equipe seja no garrafão, o ala-pivô Arthur Bernardi vem melhorado e muito sua participação nos dois lados da quadra. Foi um pedido do técnico Demétrius para essa temporada e atualmente lidera a equipe com média de 6 rebotes por jogo.

Deixe uma resposta