O título do Campeonato Brasileiro de 2015 foi marcado por grandes atuações do Corinthians. Além de ter feito história na competição naquela ocasião (time que alcançou o maior número de pontos na era dos pontos corridos – com 81) os comandados de Tite fizeram bonito. Vitórias convincentes tanto dentro e fora de casa e com um futebol de altíssimo nível.

E sem dúvidas, o time que conquistou o sexto campeonato nacional pelo Timão, está entre um dos melhores times brasileiros da última década.

E a primeira grande vitória do Corinthians no campeonato foi diante de um dos seus maiores rivais fora do estado de São Paulo. No dia 12 de julho de 2015, o Timão enfrentou o Flamengo em jogo válido pela décima terceira rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, no estádio do Maracanã. Mais um Flamengo e Corinthians. O jogo das duas maiores torcidas do país.

O time rubro-negro buscava uma recuperação dentro da competição. O momento não era nada bom. Com apenas 13 pontos em 12 rodadas, o time de Cristóvão Borges rondava a zona do rebaixamento. Além disso, o time estava desfalcado. Emerson Sheik e Guerrero foram contratados, mas não puderam jogar contra o Timão por conta de um acordo entre os clubes.

Por outro lado, o Corinthians já vivia uma fase melhor. Após um início de altos e baixos, o alvinegro estava entre os quatro primeiros colocados do Brasileirão e tentava se aproximar ainda mais do líder Atlético-MG.

O jogo Flamengo x Corinthians

O time rubro-negro veio escalado em um 4-1-4-1: César; Ayrton, Marcelo, Wallace (C), Jorge; Jonas; Gabriel, Cáceres, Canteros e Everton; Marcelo Cirino.

Já o Corinthians também estava postado em um 4-1-4-1: Cássio; Fágner, Felipe, Gil, Uendel; Bruno Henrique; Jadson, Elias, Renato Augusto (C) e Malcom; Vágner Love.

Em um primeiro tempo “estratégico”, Timão liquida a fatura

Apesar do resultado final ter sido a favor da equipe alvinegra, a partida começou com o domínio dos donos da casa. E nos primeiros 15 minutos de jogo o Flamengo optou por utilizar uma marcação bem agressiva. Com encaixes individuais e pressões nos portadores da bola, o time rubro-negro incomodou bastante a saída de bola dos visitantes.

Jogo teve um início bem disputado e com forte marcação dos rubro-negros. (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

Porém, mesmo com mais posse de bola o Flamengo não conseguiu transformar a sua superioridade inicial em ocasiões claras de gol. E aos poucos o Timão conseguiu igualar mais a partida.

E a primeira chance clara de gol do confronto foi do Corinthians. Aos 13 minutos, depois de boa troca de passes pelo lado esquerdo, Renato Augusto fez jogada individual e arriscou chute colocado de fora da área. A bola passou raspando a trave esquerda de César.

A partir disso o roteiro da partida mudou totalmente. O Timão conseguiu ter mais posse de bola (55% a 45%) e passou a incomodar os mandantes. Já o Flamengo não apresentou o mesmo ímpeto dos minutos iniciais e pareceu ser um time totalmente desorganizado e com pouco poder de criação.

Além do maior volume, o Corinthians também apostou em uma variação tática. Ao invés de se postar um 4-1-4-1, o Corinthians se posicionou em um 4-2-3-1. Elias e Bruno Henrique faziam a primeira linha de meio-campo.

Bruno Henrique e Elias eram os responsáveis pela saída de bola na variação para o 4-2-3-1.(Foto: Reprodução)

Renato Augusto, Jadson e Malcom formavam um trio mais adiantado. Outro ponto a se destacar foi a inversão entre os extremos. Malcom foi para o lado direito e Jadson para o lado esquerdo.   

Melhor na partida, o Corinthians soube aproveitar das fragilidades do Flamengo e abriu o placar no Maracanã aos 26 minutos do primeiro tempo. Após uma recuperação de bola no campo defensivo, Jadson achou Elias em progressão. Com liberdade no meio-campo, o camisa 7 avançou com a bola dominada e deu ótimo passe para Vágner Love, que fez um movimento de ruptura e recebeu livre.

Com campo aberto, o camisa 9 invadiu e área e finalizou, mas César fez grande defesa. Porém, Elias acompanhou a jogada e pegou o rebote do goleiro rubro-negro. E com um belo toque por cobertura, Elias abriu o placar no Maracanã. Um golaço!

Com direito a “lei do ex” Corinthians abriu o placar no Maracanã com Elias. (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

O domínio era total e o Flamengo não tinha poder de reação. E ao invés de buscar o resultado, os mandantes adotaram uma postura mais reativa para tentar explorar os espaços deixados pelo adversário. No entanto, a alternativa não surtiu efeito e o controle de jogo do Corinthians foi ainda maior.

Jadson foi um dos principais nomes do Timão na primeira etapa. O camisa 10 se mexia para articular o jogo e fazia movimentos de apoios para dar opção de passes para Renato Augusto, Elias e Bruno Henrique. Outro nome de destaque foi o lateral-esquerdo, Uendel.

O lateral-esquerdo Uendel teve tarde inspirada no Rio de Janeiro. (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

Além de ser peça importante nas triangulações com os meios-campistas interiores e com os jogadores das extremidades, o camisa 6 fazia o papel de lateral construtor, trabalhando por dentro. No final do primeiro tempo o ritmo do jogo caiu. Mas antes disso, o Corinthians balançou a rede mais uma vez.  

O Timão adiantou a sua linha de marcação e pressionou a defesa do Flamengo na saída de bola. Com isso, a equipe alvinegra conseguiu recuperar a posse com Jadson. O camisa 10 achou Uendel, que deu ótimo passe para Renato Augusto em profundidade. O meio-campista invadiu a área e deu uma bela assistência para o camisa 6 que preencheu o espaço vazio e mandou para o fundo do gol. 2 a 0.

Cirúrgico, decisivo, organizado e eficiente. Esse foi o Corinthians da primeira etapa. Vitória quase sacramentada no Maracanã.

Segundo tempo: golpe decisivo e festa alvinegra no Maracanã

No segundo tempo o Corinthians veio com uma alteração. Cássio sentiu um problema físico e deu lugar a Walter. O Flamengo voltou sem alterações, mas precisava mudar a postura para tentar mudar o cenário da partida.

O time rubro-negro veio para cima. Adiantou as suas linhas e tentou esboçar uma reação. E a primeira grande chance do time no jogo veio com Marcelo Cirino. O atacante arriscou um chute forte de fora da área e obrigou o goleiro Walter a fazer boa defesa. Mas foi só.

O Corinthians continuou muito confortável na partida. E neste segundo tempo o time alvinegro se comportou de maneira mais cautelosa, deixando os mandantes com a posse e esperando em seu campo para matar o confronto com uma jogada rápida de transição.

Transição defesa/ataque com Malcom (direita), Vágner Love e Jadson (esquerda). (Foto: Reprodução)

E em uma dessas jogadas, o Timão quase marcou o terceiro. Malcom fez o movimento de desmarque e atacou o espaço vazio, Renato Augusto teve boa visão de jogo e achou o camisa 21 que dominou e bateu firme. A bola explodiu na trave direita de César.

Os problemas do Flamengo do primeiro tempo se intensificaram no segundo. O time não tinha padrão e organização para chegar com perigo ao gol de Walter.

E o que estava ruim acabou piorando. Aos 17 minutos o Flamengo saiu jogando mal mais uma vez. Elias retomou a posse no campo ofensivo e acelerou pelo lado direito. O camisa 7 avançou e fez excelente inversão para Jadson. Livre e bem posicionado, o meio-campista pegou bonito de primeira e marcou o terceiro gol do Corinthians na partida. 3 a 0. Aula de futebol no Rio de Janeiro.

Jadson comemorando o seu sexto gol no Brasileiro de 2015. (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

O gol desestabilizou ainda mais os donos da casa. O Flamengo não sabia mais o que fazer em campo. O técnico Cristóvão Borges fez algumas alterações e colocou Paulinho e Alan Patrick, mas nada poderia evitar mais uma derrota no Maracanã e confirmar a má fase do time rubro-negro.

Sem mais sustos e com o jogo totalmente dominado o Corinthians confirmou mais uma vitória no Campeonato Brasileiro de maneira categórica. Uma partida quase perfeita dos comandados de Tite. Aquele seria apenas o início de um caminho vitorioso.

VEJA TAMBÉM:

Como Carille neutralizou o ataque do Palmeiras para vencer o Paulistão

Tutores de Pedrinho: veja números do meia com cada técnico no Corinthians

Corinthians x Palmeiras: o título no Allianz Parque com aula de Carille

Deixe uma resposta