Duílio Monteiro Alves foi eleito como novo presidente do Corinthians para o triênio de 2021 a 2023, mantendo a chapa Renovação & Transparência no comando do clube. Ele chega para suceder o segundo mandato de Andrés Sanchez, que dentro de campo foi repleto de polêmicas, criticas e decepção nas grandes competições.

O ex-diretor de futebol sabe muito bem qual a realidade do clube. Isso será importante para que ele possa superar cada um dos desafios listados a seguir relacionados ao departamento de futebol, para que o torcedor possa ter mais alegrias com o desempenho dentro de campo. Os desafios são:

1 – Definir quem serão os nomes a comandar o futebol alvinegro

O ex-lateral Alessandro voltou a ser um dos homens fortes do futebol corinthiano e ao seu lado outro velho conhecido da torcida está de volta: Roberto de Andrade. Ambos terão bastante trabalho pela frente.

Atualmente o Corinthians conta com mais de 80 jogadores sob contrato, contando profissional e sub-23. Isso deixa a folha salarial bastante inchada e atrapalha na hora de melhorar o elenco. Fazer uma limpeza nessa lista e encontrar destino para os atletas que não vão ser usados pela comissão técnica principal é um desafio importante.

O outro grande desafio está ligado à parte financeira do clube. Não é segredo para ninguém que o Corinthians vive uma situação delicada nesse quesito e os novos diretores vão ter de saber “se virar nos 30” para trazer reforços que mudem o status do time sem que isso afete de maneira negativa o caixa do Timão.

2 – Reformulação do Sub-23 do Corinthians

A categoria virou motivo de piada para o torcedor devido às diversas contratações suspeitas e sem embasamento técnico feitas pela antiga gestão. Porém, o sub-23 não deve ser descartado se for tratado de maneira profissional. Integrada ao profissional, pode render frutos. As noticias mais recentes mostram que o foco na montagem do elenco vai ser em atletas que estouraram a idade do sub-20 ou que estão sob contrato com o clube, mas vivem sendo emprestados, como o meia Fabricio Oya.

3 – Menos erros nas contratações

Na segunda gestão de Andrés Sanchez o Corinthians ficou marcado pelos erros nas contratações. Jogadores que vieram por alto preço, mas que não renderam o esperado e acabaram sendo emprestados em menos de um ano (Ex: Richard, Sornoza e Araos). Sem contar os casos das apostas como Davó e Everaldo, que estão no elenco mas passam longe de ser algum tipo de solução.

Em um clube que possui problemas financeiros essa alta taxa de erros acaba sendo muito prejudicial a médio e longo prazo. Duílio vai ter o desafio de ser mais certeiro nas contratações, saber usar melhor as categorias de base para suprir algumas carências do elenco e focar mais em qualidade do que quantidade.

4 – Manutenção ou não de Mancini

Mancini durante treino do Internacional (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Vágner Mancini chegou ao Corinthians como uma espécie de “bombeiro” para livrar o clube de qualquer risco de rebaixamento, só que ele vem fazendo muito mais que isso. Recuperou a confiança dos mais experientes e tornou a equipe organizada e competitiva. Acabou colocando o Timão na briga por vaga na Libertadores. Tais resultados fizeram a sua manutenção em longo prazo se tornar algo real, o que era inimaginável quando chegou.

Em sua carreira Mancini teve problemas em conseguir se manter no cargo por muito tempo em um clube e aí está a primeira grande decisão de Duílio a respeito do técnico. Se ele acredita em Mancini para ser o técnico que vai levar o Corinthians de volta a brigar pelo topo nas grandes competições ou se enxerga apenas alguém que resolva o problema no momento, preferindo que outro treinador mais capacitado venha e toque em frente o trabalho feito.

5 – Manter a força do time feminino

O futebol feminino do Corinthians se tornou referência dentro do continente e vem empilhando taças desde 2016. Nesta parte, o desafio será manter todo esse alto nível atingido e continuar dominando o cenário nacional e continental. Isso passa muito pela manutenção da diretora Cris Gambaré e da comissão técnica comandada por Arthur Elias, além de claro, renovar com o elenco campeão de tudo, algo que já começou a ser feito.

VEJA TAMBÉM:

COLUNA ALVINEGRA: FALTA DE DINHEIRO OU FALTA DE PLANEJAMENTO?

COLUNA ALVINEGRA: PRECISAMOS FALAR DO BOM TRABALHO DE VAGNER MANCINI

Deixe uma resposta