Nessa quarta-feira (26), o Corinthians se apresentou pela última vez com Fernando Lázaro de interino e goleou o River-PAR, apresentando boas variações e alternativas ao novo treinador.

1° TEMPO:

Um primeiro tempo que antes mesmo da marca de 30 segundos no placar, já conseguiu mostrar qual seria o jogo da equipe do Corinthians. Ofensivo e mais forte nas chegadas, principalmente com Adson e Mateus Vital pelo meio (protagonistas da partida), essa era a tônica do alvinegro.

O Corinthians conseguiu demonstrar muitas variações táticas, como por exemplo, um 4-1-4-1 muito bem desenhado que ajudou na potencialização dos jogadores do meio, aumentando o número de chances criadas e preenchendo mais o meio-campo.

Assim como pode ser visto em outros jogos da equipe, o Timão contava com uma saída de bola em uma linha de 3 muito bem postada. Fernando Lázaro optou por não subir tanto Fabio Santos e avançar o Bruno Méndez, aproveitando o corredor no lado direito e corrigindo um dos grandes problemas da equipe em outros jogos, a transição defensiva pelos lados do campo, ganhando mais um meio campista.

O time seguiu criando de forma calma na saída de bola e sem sofrer fazia a bola girar. Quando chegava nos pés dos meio-campistas o jogo se abria mais e mais triangulações eram feitas. O primeiro gol apresenta uma das características do time desde o início da temporada, o escanteio.

Em um escanteio, a bola sobra nos pés de Ramiro e o time abre o placar na Neo Química Arena, aos 22’ do 1° tempo. Após o primeiro gol e buscando a vitória, o time não abaixou as suas linhas e seguiu atacando e pressionando. Logo, chegou ao segundo gol. Gol esse que apresentou uma solução muito boa à equipe:

Araos retorna como uma opção para um passe rápido, Jô puxa a marcação, abrindo assim um corredor livre para Bruno Méndez atacar e gerar o gol do próprio Jô, aos 28’ do 1° tempo.

Após o segundo gol, o time dominou ainda mais o jogo, ampliando o placar com Mateus Vital aos 33’, em uma transição ofensiva muito boa comandada por Adson, sacramentando ainda mais as ótimas atuações da dupla.

Dupla que demonstrou muita qualidade técnica, jogadores que são “lisos” em campo, conduzem em transição, geram e atacam muito os espaços deixados pelo adversário.

O primeiro tempo se encerrou com um 3-0 no placar a favor do Corinthians, que sofreu e soube se impor no jogo, o que explica o número de 71% de posse de bola. Demonstrou um jogo muito mais criativo e arrumado, diferentemente de jogos anteriores, corrigindo uma linha defensiva muito frágil e demonstrando um meio-campo muito consistente, comandando o jogo da intermediária para frente.

2° TEMPO:

Visando já a estreia do Brasileirão contra o Atlético Goianiense no domingo, Lázaro optou por entrar com Matheus Donelli no lugar de Cássio, que sentiu dores, e Victor Cantillo no lugar de Mateus Vital, possivelmente o poupando.

Logo de início já pôde ser visto que o time continuaria com a mesma imposição no jogo, mesmo a frente do placar. Cantillo protagonizou o papel de pivô de saída, retornando a zaga para receber a bola e assim distribuí-la.

Um dos pontos positivos do jogo foi a mudança no posicionamento da equipe, que no segundo tempo apresentou o 4-2-3-1, potencializando a saída de bola com Cantillo e apresentando as boas peças que tem para explorar e propor um jogo diferente. 

Aos 49’ o time teve uma ótima chance de ampliar o placar, de falta com Araos após uma chegada de Fábio Santos ao ataque, porém, não resultou – se em gol.

As peças que demonstraram um bom futebol no primeiro tempo continuaram bem e a equipe conseguiu deter a bola e a posse de 71% foi mantida na segunda etapa.

Um dos pontos a ser visto é a consistência apresentada por Raul Gustavo no lado esquerdo da defesa alvinegra. Não é de hoje que Raul se apresenta como um ótimo prospecto do clube e ontem não foi diferente, foi excelente nos desarmes e nas investidas. Dessa forma, demonstra mais a cada jogo a sua calma e capacidade para sair jogando, com passes longos e inversões, além de arriscar em condução.

O jogo seguiu com o jovem Matheus Donelli sendo pouco acionado e com o time criando com calma desde a saída de bola com os dois zagueiros, até que, aos 58’ a bola chega aos pés de Cantillo que visualiza muito bem o avanço de Ramiro no lado direito do campo, o lançamento ou melhor, o míssil teleguiado é lançado e Ramiro conta com a falha do goleiro do River Plate que fura o cabeceio e Ramiro se encontra sozinho para ampliar e fechar o caixão para o Timão.

Ramiro é outro ponto a ser observado nesse jogo, demonstrou que pelo lado direito e não estando totalmente preso consegue desenvolver um bom jogo, abrindo diversos espaços e sendo importante na criação das jogadas e da recomposição para o time, porém, Ramiro já tem acertado sua saída ao futebol árabe, a partir de julho deste mesmo ano.

Vitinho e Cauê também entraram na partida e demonstraram que são peças que se bem trabalhadas, podem ser utilizadas ao decorrer da temporada. Vitinho buscou mais jogo por dentro, juntamente a Araos e Adson, fez uma boa atuação, flutuando bastante no setor de ataque.

O jogo se estendeu o mesmo, 4-0 no placar, o River Plate já não pressionava muito o time alvinegro e apostava em saídas rápidas com contra-ataques. O time do Corinthians, por sua vez, seguiu com a posse da bola e criando diversas chances e cenários favoráveis para que a equipe tentasse ampliar o placar.

POR FIM, O QUE SIGNIFICA ESSA VITÓRIA SOBRE O RIVER?

O Corinthians já não disputava mais a classificação na Copa Sul-Americana, porém, com a chegada de Sylvinho e ainda presente no estádio, fpi uma ótima apresentaçã de boas-vindas ao novo treinador. Sylvinho pôde visualizar em campo as peças que trabalhará e assim, projetar suas ideias para o jogo de domingo na estreia do Brasileirão.

Essa vitória obteve como aspecto principal a reestruturação da equipe em campo com minutos aos jogadores da base, que nas mãos do novo comandante podem ser muito bem trabalhados e lapidados.

O jogo também tem a importância na mentalidade do elenco que, consequentemente após uma vitória expressiva com gols e uma boa atuação de jogadores que não apresentavam uma fase excepcional, ergue a estima do grupo e prepara o time para a chegada ao Brasileirão e Copa do Brasil.

Dados da partida:

Corinthians 4 x 0 River Plate (PAR)

Posse de bola: 71% x 29%
Finalizações: 24 x 11
Finalizações no gol: 9 x 2
Finalizações para fora: 9 x 6
Chutes travados: 6 x 3
Faltas cometidas: 10 x 11

VEJA TAMBÉM:

Deixe uma resposta