Nesta quinta-feira, às 19:15, o Corinthians recebe na Neo Química Arena o Peñarol-URU pela segunda rodada da Copa Sul-Americana. A equipe comandada pelo técnico Mauricio Larriera chega à partida em boa fase, são cinco jogos sem perder e goleada na estreia contra o Sport Huancayo-PER.

PROVAVÉL ESCALAÇÃO

Segundo o site El Observador, o Larriera deve repetir a escalação da estreia para este jogo que os uruguaios tratam como decisivo na briga pela vaga as oitavas.

Provável escalação do Peñarol.

MOMENTO OFENSIVO

Os comandados de Larriera preferem sair com uma ligação direta ao ataque, quando posicionados no campo ofensiva fazem uma saída sustentada com os laterais próximos aos zagueiros. E pelos pés de Trindade que a construção se inicia com um passe de mais qualidade, seja recuando entre os zagueiros ou a frente da defesa. Gargano possui varia entre ajudar mais atrás ou se posicionar entre as linhas do oponente, mesmo não sendo mais um garoto ele tem a qualidade para clarear a jogada com um passe.

González e Torres possuem bastante liberdade para se movimentar, cair por dentro, ficar espetado na ponta e inverter suas posições, enquanto que a dupla de ataque é capaz de fazer pivôs para quem vem de trás e atacar as costas da defesa rival em lançamentos vindos da defesa. O Peñarol busca concentrar seus jogadores próximos a fim de envolver o adversário com tabelas e triangulações.

MOMENTO DEFENSIVO

Na fase defensiva o Peñarol se organiza no 4-4-2, é incomum ver a equipe subindo para apertar o adversário próximo a sua área, geralmente se postam a partir da intermediária ofensiva, onde a linha do meio se aproxima a dupla de ataque para fazer uma pressão e forçar o erro rival a fim de sair em velocidade. Dentro dessa ideia existe a variação de Gargano subir para fazer essa pressão enquanto Trindade fica recuado cuidando do espaço entrelinhas.

Aliás, Jesús Trindade é peça fundamental no equilíbrio do time, é responsável por cuidar das entrelinhas e também de cobrir os espaços que vão surgindo na defesa. Pela direita o lateral Acosta sobe menos ao ataque até para dar mais liberdade às subidas de Piquerez pela esquerda. Além disso, o Peñarol possui uma dupla de zaga firme nos embates.

PONTOS FORTES

Contra-ataque rápido

O cenário em que a equipe do Peñarol mais se sente a vontade é poder roubar a bola e sair em velocidade, muito disso devido a ter um quarteto de ataque veloz. Em poucos toques são capazes de chegar à área adversária com os quatros, sem contar o apoio do lateral esquerdo Piquerez que também ajuda na transição ofensiva em alguns momentos. A defesa Corinthiana vai ter de estar bastante atenta na hora de recompor após a perca da posse, pois isso vem sendo um problema a algum tempo.

Movimentação do ataque

Um dos méritos do técnico Larriera no comando do Peñarol é a liberdade que ele dá ao quarteto ofensivo para se movimentarem à vontade quando o time tem a bola. É comum ver trocas de posições entre eles e o meia de um lado aparecer no outro para gerar superioridade. Torres e Terans são os que mais dão dor de cabeça às defesas rivais por conta disso.

Força na defesa

O Peñarol terminou o último Clausura com a melhor defesa, sofrendo apenas 12 gols em 15 jogos. Isso se deve bastante a capacidade do meio-campo ao pressionar e forçar o adversário o erro, além da boa qualidade dos zagueiros. Formiliano e Kagelmacher formam uma dupla que protege bem a área pelo alto. E caso eles não deem conta, ainda tem o bom goleiro Kevin Dawson para dar ainda mais segurança.

Bola parada perigosa

O Corinthians já sofreu com esse tipo de jogada e neste jogo vai precisar redobrar a sua atenção, pois na estreia o Peñarol marcou os seus três primeiros gols em jogadas de escanteio, sem contar outras chegadas perigosas, e a maioria delas buscando a primeira trave para um desvio.

PONTOS FRACOS

Espaços nas entrelinhas

Um comportamento comum na equipe do Peñarol é a linha de quatro do meio subir para se juntar a dupla de ataque a fim de pressionar o rival na intermediária, porém a linha da defesa não acompanha esse movimento gerando um espaço a ser explorado. Nesse cenário Luan pode ser uma peça chave para o Timão e a opção por um centroavante mais móvel faz mais sentido.

Dificuldade para propor

O Peñarol mostra dificuldade quando precisar propor contra um adversário mais fechado, ainda mais quando os zagueiros precisam ter mais protagonismo na construção do jogo, pois quando pressionados acabam rifando a bola. Nos jogos analisados os uruguaios demonstraram problemas para conseguir se chegar mais a área rival trocando passes curtos, em muitos casos após rodar a bola e não conseguir infiltrar a opção era arriscar um passe mais longo.

Lentidão na zaga

A dupla de zaga carbonera vai muito bem quando precisam atuar em bloco baixo defendendo a área, mas demonstram ter problemas em defender suas costas quando precisam subir as linhas. Este é um cenário que a presença de Mosquito pode ser muito importante para aproveitar tal fraqueza.

Recomposição lenta pelos lados

Em alguns momentos Facundo Torres passa a possuir menos responsabilidades na recomposição, a fim de ter mais liberdade para participar dos contra ataques. Isso traz um ganho ofensivo e também gera uma perda na defesa, pois um jogador rival que atua aberto passa a ter liberdade para receber um lançamento. Até por isso que o lateral direito seja Acosta ou Maxi Pereira, ambos guardam mais posição.

DESTAQUES INDIVIDUAIS:

Álvarez Martínez: Homem gol da equipe uruguaia nesta Sula com 4 gols em 3 jogos. É um atacante que sabe se posiciona bem na área, faz pivô e muito perigoso atacando as costas da defesa rival.

Facundo Torres: Meia canhoto, habilidoso e bom de bola. Partindo da meia direita possui liberdade para cair por dentro e aparecer em qualquer ponto do campo é o jogador com maior capacidade de armação do meio pra frente.

David Terans: O ex-Atlético Mineiro foi o artilheiro da equipe na última temporada do campeonato uruguaio com 15 gols. Possui bastante liberdade para se movimentar em campo e uma boa finalização.

Jesús Trindade: Responsável pelas bolas paradas e por iniciar as jogadas com maior qualidade no passe também tem papel importante no momento defensivo cobrindo os espaços entrelinhas e protegendo a área.

VEJA TAMBÉM:

Deixe uma resposta