Após uma partida bem abaixo diante do maior rival, o Corinthians foi a campo novamente nessa quinta-feira (21) para enfrentar o Sport, do ex-técnico corinthiano Jair Ventura. Um jogo essencial para não necessariamente encantar, porém para dar segurança e retomar a moral da equipe. Êxito! Vagner Mancini e seus comandados venceram por 3 a 0, com uma atuação muito segura.


Escalação do Corinthians: Cássio, Fagner, Bruno Méndez, Jemerson e Fábio Santos; Camacho, Ramiro, Gustavo Silva; Cazares e Mateus Vital; Jô. Técnico: Vagner Mancini

Escalação do Sport: Luan Polli, Raul Prata, Iago Maidana, Adryelson e Sander; Patric, Ronaldo Henrique, Betinho, Marcão e Thiago Neves; Dalberto. Técnico: Jair Ventura


PONTOS POSITIVOS
• Cazares se movimentando muito nas entrelinhas.
• Gustavo Silva atacando muito bem os espaços.
• Fagner seguro defensivamente e muito bem na frente.
• Mateus Vital flutuando por dentro e finalizando com precisão.

PONTOS NEGATIVOS
• Jô ainda sofre com a parte física.
• Substituições questionáveis.

A FASE OFENSIVA DE MANCINI É CLARA E EFICIENTE

Desde que chegou ao Corinthians, Vagner Mancini buscou arrumar os erros defensivos e intensificar o time. Todavia, com a chegada de reforços e potencialização de atletas já contratados, o treinador conseguiu também dar uma “cara” para o ataque alvinegro. Hoje, o time é muito criativo e tem um manual claro para atacar.

Contra o Sport, dois gols saíram com essa estratégia. No mínimo cinco jogadores atacando atrás de Jô, três deles por dentro e dois abertos. Entre os três centralizados, sempre está Juan Cazares. Os outros quatro se revezam entre lateral e extremo de cada flanco.

Esse é o primeiro gol. Começou com uma inversão linda de Fagner, Mateus Vital dominou e utilizou-se da sua melhor característica: a interiorização. Com isso, se juntou ao trio central, no caso ele, Cazares e Gustavo. Os extremos por dentro abrem espaço para Fábio Santos e Fagner (mais atrás por conta da inversão que fez à Vital) atacarem. Cinco jogadores atrás de Jô. A bola vai do camisa 22 à Cazares, que acha lindo passe em bela movimentação de Gustavo Silva, e o ponta marca em mais um jogo.

Agora avançaremos ao terceiro gol, para demonstrar mais uma vez a aula da equipe de Mancini ao efetuar a jogada treinada.

Cazares por dentro, como sempre. Mateus Vital interioriza mais uma vez e nessa ocasião, Fagner que ajuda a ocupar o meio. Léo Natel (entrou na vaga de Gustavo) e Fábio Santos (não aparece na imagem) dão amplitude. A bola vai do equatoriano ao lateral direito, que acha belo passe para Jô. O centroavante chuta e Luan Polli defende, mas depois faz o gol em seu próprio rebote.

No segundo gol, a situação não é a mesma, mas um fator se repete. Mateus Vital rouba a bola de Iago Maidana e veja o rumo do camisa 22. Novamente ele utiliza-se de seu melhor atributo: aproveitar o espaço por dentro. De uns tempos para cá, criou confiança para arriscar mais finalizações e essa entrou com perfeição. Partida enorme do atleta!

É válido lembrar, não especificamente nesse segundo gol (pois Vital deixa a defesa desarmada), mas o Sport tem muita dificuldade de fazer recomposições rápidas e tirar o espaço nas entrelinhas. Contra o Timão, esteve muito espaçado em alguns momentos, e acabou deixando os melhores jogadores do Corinthians desmarcados. Se você subir a leitura, irá reparar que no primeiro gol, Cazares está livre em uma zona de muito perigo.

FALTA DE ENTROSAMENTO INICIAL E SUBSTITUIÇÕES QUESTIONÁVEIS

Devido às ausências de Gil e Gabriel, Vagner Mancini precisou fazer mudanças. Na vaga do zagueiro, entrou o uruguaio Bruno Méndez, enquanto no meio-campo Mancini optou por trocar a dupla. Gabriel (suspenso) e Cantillo (opção técnica) deram lugar à Camacho e Ramiro.

De início, ambas as duplas (zagueiros e volantes) estavam desentrosadas e cometendo algumas precipitações. Camacho e Bruno Méndez, principalmente, erravam alguns gestos técnicos, mas isso não ocorreu por muito tempo.

Ao longo da partida, os gols motivaram toda a equipe alvinegra e com isso, os que estavam em uma sintonia diferente, se igualaram aos demais. Bruno Méndez, inclusive, fez uma bela partida.

Apesar de todos os acertos, algumas escolhas de Vagner Mancini são questionáveis. Dentre elas, a opção de manter Gabriel Pereira e Luan durante os 90 minutos no banco de reservas. Com o 3 a 0 no placar, a intenção de dar confiança ao jovem ou ao camisa 7 parece não ser prioridade nas ideias de Mancini. É válido refletir sobre as peças que o treinador opta por utilizar em detrimento àquelas que o mesmo utiliza menos.

O próximo duelo do Corinthians é diante do RB Bragantino na segunda-feira (25), na Neo Química Arena.

CONFIRA AS NOTAS DO CORINTHIANS CONTRA O SPORT:

Cássio: Fez ótimas defesas e parece cada vez mais confiante, em um contexto bem diferente do início da temporada. Liderança importante. NOTA: 7,5

Fagner: Partida espetacular de Fagner. Deu uma bela assistência para Jô, a inversão para Vital no primeiro gol e muita consistência defensiva. NOTA: 8,5

Bruno Méndez: Começou errando algumas ações, mas evoluiu ao longo da partida. No final acabou com ótimos números. Briga por titularidade. NOTA: 7,0

Jemerson: Foi seguro e parece não sentir o manto alvinegro, mesmo com poucos jogos. É ótimo jogador e já se firma. No entanto, sofreu uma torção no joelho e nos cabe esperar as notícias sobre o tempo que ficará parado. NOTA: 7,0

Fábio Santos: Muito seguro, assim como em toda sua passagem atual pelo Corinthians, com exceção do Dérbi. Apareceu bem no ataque em certos momentos também, sabendo interiorizar ou atuar pelo corredor. NOTA: 7,5

Camacho: Como dito no texto, começou com precipitações e foi se acertando ao longo do jogo. Porém, deve voltar à reserva na próxima rodada, visto que Gabriel estará apto. NOTA: 6,5

Ramiro: Uma escolha questionável de início, porém Ramiro foi importante para a equipe, com ótimos passes verticais, auxiliando em transições, além de pressionar bem o portador da bola quando defendia.  NOTA: 7,5

Gustavo Silva: Atacou bem os espaços novamente, utilizou sua aceleração e marcou o primeiro gol. Gustavo se firma como o extremo-direito titular do Corinthians. NOTA: 8,0

Cazares: Mais uma partida ótima do camisa 10. Deu uma bela assistência para Gustavo e flutuou por todos os lados nas entrelinhas do Sport. Muito inteligente e decisivo. NOTA: 8,0

Mateus Vital: Um dos melhores jogos de Vital com o manto alvinegro, foi intenso e muito participativo. Sete finalizações (seis no gol), errou raríssimas ações e fez um golaço. NOTA: 8,5

Jô: É o artilheiro do Corinthians na temporada, mas ainda sofre com sua forma física, que atrapalha demais seu desempenho técnico. NOTA: 6,5

Xavier: Entrou na vaga de Ramiro (mesmo com o falecimento de seu avô na tarde que antecedeu a partida) e foi seguro. Errou um passe logo no início, mas recuperou a bola e a confiança. É ótima alternativa na reseva corinthiana. NOTA: 6,0

Léo Natel: Caso não seja mesmo titular na equipe, Léo melhorou durante a temporada e também fica como alternativa no cansaço de Gustavo Silva. Entrou razoavelmente bem e sua velocidade incomoda os adversários na segunda etapa.  NOTA: 6,0

Everaldo: Apenas cinco toques na bola e mínimas ações, as entradas de Everaldo nos últimos jogos costumam ser de pouca importância. Não agrega tanto quanto a equipe que inicia. NOTA: 5,5

Cantillo: Entrou na vaga do desgastado Camacho e tocou poucas vezes na bola. No entanto, acertou os oito passes que tentou e a única bola longa. Esperávamos Cantillo titular, mas talvez no próximo jogo volte aos onze iniciais. NOTA: 6,0

Marllon: Entrou e levou um drible que gerou um gol anulado do Sport. Agora bem servido de bons zagueiros, e com alguns da base possivelmente aproveitados, Marllon provavelmente será menos utilizado. NOTA: 5,5

VEJA TAMBÉM:

COMO O ATUAL JÔ PODE AGREGAR AO CORINTHIANS DE VAGNER MANCINI

FAGNER E A IMPORTÂNCIA DE TER UM RESERVA À ALTURA NO CORINTHIANS

CORINTHIANS COM TRÊS ZAGUEIROS: QUAIS SÃO AS POSSIBILIDADES TÁTICAS?

Deixe uma resposta