Logicamente, uma derrota nunca é algo positivo para o time que a sofre. Porém, em alguns contextos, é dever de quem analisa separar e apresentar o que a equipe fez de errado para perder, mas também, comparar ao que realmente poderia ter feito, se de fato faltou organização, se houve falhas graves, entre outros fatores. Dessa vez, fora de casa diante da equipe que mais tem recursos técnicos no país, a situação do Corinthians é bem peculiar.


Escalação do Flamengo: Hugo, Isla, Willian Arão, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Gerson, Diego, Éverton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigool.
Técnico: Rogério Ceni

Escalação do Corinthians: Cássio, Fagner, Bruno Méndez, Gil e Fábio Santos; Xavier, Cantillo, Gustavo Silva; Araos e Otero; Léo Natel. Técnico: Vagner Mancini


PONTOS POSITIVOS
• Araos participativo e decisivo;
• Bruno Méndez seguro novamente;
• Léo Natel aproveitando a grande chance;
• Ótima exibição de Xavier.

PONTOS NEGATIVOS
• Mais um gol sofrido em bola parada;
• Os extremos um pouco apagados ofensivamente;
• Fábio Santos com dificuldade em final de temporada;

FALHAMOS NOS GOLS DO FLAMENGO?

Essa é simples: sim. Diferentemente dos jogos anteriores que o Corinthians sofreu com muitos homens livres nas entrelinhas, ou com as jogadas de linha de fundo do adversário, no jogo desse domingo (14) o alvinegro pecou no posicionamento dentro de sua área.

Para um time que possivelmente iria marcar em bloco médio e mais se defender do que atacar, tomar um gol no começo da partida dificultaria bem o decorrer do confronto. O primeiro gol do Flamengo saiu logo aos 9 minutos, em bola parada, e isso precisa de fato ser ajustado. O Corinthians sofreu gol assim em três dos últimos quatro jogos.

Reprodução

A qualidade da imagem não está excelente por causa da bola em movimento, mas o erro defensivo é notado simplesmente ao observar os jogadores de camisa branca. Não tem uma linha de impedimento, o Flamengo tem mais de um jogador livre (marcação equivocada) e o ex-corinthiano Arão cabeceia com êxito.

No segundo gol do Flamengo, no segundo tempo, duas jogadas de impedimentos foram revisadas pelo árbitro de vídeo. Uma delas poderia ter sido melhor efetuada pelo Corinthians,

Reprodução

Claramente foi uma situação de mínimos centímetros, porém o fato é que Fábio Santos tenta se afastar da linha de fundo após o chute de Bruno Henrique, e deixa um pé condicional (circulado) a Éverton Ribeiro.

O Corinthians realmente se portou bem defensivamente, em situações de bola rolando foi quase perfeito, protegeu bem o funil e a fase defensiva do Timão dificultou em certos momentos a produção ofensiva dos meio-campistas flamenguistas. Contudo, esses jogos se ganham (ou se perdem) nos detalhes.

O SALDO É POSITIVO?

Se for pensar pelo resultado, claramente não é. Porém, a intensidade da equipe, o poder de reação e alguns destaques individuais fazem o alvinegro paulista sair do Maracanã longe de uma terra arrasada.

Os desfalques Gabriel e Cazares não fizeram a falta esperada na partida. Isso ocorreu porque os substitutos Araos, que se desempenha bem nos últimos jogos, e Xavier, foram dois dos melhores jogadores do Corinthians na partida.

O chileno foi muito associativo durante a partida, cortou bem as linhas de passe e deu uma bela assistência para Léo Natel. O saldo de Araos nos últimos jogos, mesmo que com alguma oscilação, é muito positivo.

Reprodução

No gol do Timão, Araos aproveita um problema defensivo do Flamengo, a recomposição defensiva e o espaço entrelinhas. Repare onde está a trinca de meias do Flamengo em regresso, e como sobrecarrega em Diego (que não é marcador de ofício) à proteção da zaga. O camisa 10 do Flamengo perde no duelo para Araos, assim o chileno e Léo Natel exploram a dificuldade de Arão em marcar como zagueiro e anotam para o Timão. Esse gol saiu aos 19 minutos, ou seja, empate rápido/poder de reação.

Xavier, por sua vez, protegeu muito bem a entrelinha, ao mesmo tempo que pressionava o portador da bola. Apesar de Cantillo estar bem defensivamente, imposição física não é seu forte, e Xavier foi fundamental com essa característica diante de meias adversários tão habilidosos.

SUBSTITUÇÕES E SEQUÊNCIA FINAL

Vagner Mancini mexeu durante o jogo com a entrada surpreendente de alguns atletas. Luan, Roni e Gabriel Pereira (que pouco têm chances), ganharam uma oportunidade. Ramiro e Jô foram as outras escolhas. Nota-se uma falta de critério em Mancini em algumas ocasiões.

Claro que ele não tinha uma vasta leva de opções no banco de reservas, todavía Gabriel Pereira e Luan não entraram contra Athletico e Ceará com o time precisando de mais gols, a fim de não sofrer defensivamente e ganhar o jogo. Já contra o Flamengo, jogo de maior dificuldade, Mancini resolve dar oportunidade aos atletas. Talvez na hora errada, é uma possível falta de critério.

Outra falta de critério foram nas entradas de Roni e Ramiro. Ao tirar Cantillo e Otero, para colocar esses dois atletas, o treinador naturalmente impõe características mais defensivas, em um momento que a equipe estava sendo derrotada. Além disso, Roni não entrava em campo desde novembro, e ganhar sua oportunidade justamente contra o Flamengo, foi uma escolha ruim de Mancini.

CONFIRA AS NOTAS DO CORINTHIANS CONTRA O FLAMENGO:

Cássio: Está tecnicamente abaixo, e pode ser mais decisivo. No entanto, Cássio também não foi um problema para o Corinthians no duelo. NOTA: 6,0

Fagner: Fagner não teve um destaque tão grande. Isso por conta de não avançar muito ofensivamente e estar na função de conter Bruno Henrique. Nesse sentido, foi seguro. NOTA: 6,5

Bruno Méndez: Mostrou muita segurança em um jogo tão grande e foi um dos melhores do alvinegro em campo. NOTA: 7,5

Gil: Não teve uma partida excelente, mas também passou longe de ser muito problemático. Jogo razoável. NOTA: 6,5

Fábio Santos: Fábio sofre com a reta final da temporada. Erra gestos técnicos, falha defensivamente e é nulo ofensivamente. Ajuste necessário para a próxima época. NOTA: 5,5

Xavier: O volante recebeu a oportunidade e foi muito bem. Protegeu bem a área, se impôs fisicamente e ajudou em bolas aéreas. NOTA: 7,0

Cantillo: Mais apagado ofensivamente, muito pelo contexto da partida, Cantillo foi melhor defensivamente. NOTA: 6,5

Gustavo Silva: Apesar de ser nosso melhor escape, Mosquito estava mais apagado nesse duelo. O volume do Timão não foram produtivas o suficiente para que Mosquito encontrasse seus espaços. NOTA: 8,5

Araos: Ótimo jogo do chileno. Assistência, alta participação e intensidade. Possivelmente a melhor partida dele no Corinthians, ao lado do primeiro jogo desse campeonato, diante do Atlético Mineiro. NOTA: 8,0

Otero: Pouco participativo, dessa vez não comprometeu, mas é um jogador que agrega pouco. Pode evoluir, porém não está rendendo para ser titular. NOTA: 6,0

Léo Natel: Fez o gol, foi participativo e se firma na posição. Apesar de errar em tomadas de decisão, mudou o ataque do Corinthians para melhor. NOTA: 7,0

Luan: Foi uma boa entrada, apesar de algumas perdas de posse. É claro que está abaixo, e pode até ficar para trás em disputas por titularidade, mas contra o Flamengo entrou participativo. NOTA: 6,0

Ramiro: Entrou na vaga de Cantillo e obteve pouca produção ofensiva. Ramiro é uma opção razoável de elenco, mas realmente em alguns jogos entra e não ajuda. NOTA: 5,5

Roni: Fora de posição, Roni não entrou bem. Pouco produziu para a equipe. NOTA: 5,5

Jô: Agregou pouco. É uma alternativa para bolas aéreas, mas com bola rolando Jô está fora de sintonia. NOTA: 5,5

Gabriel Pereira: Tentou algumas investidas e deve ser mais aproveitado. Sempre que entra, cria chances interessantes. NOTA: 6,5

VEJA TAMBÉM:

MERCADO SCOUTS: GILBERTO, UMA OPÇÃO DE ATAQUE PARA O CORINTHIANS EM 2021

MERCADO SCOUTS: CLÉBER, UMA OPÇÃO DE ATAQUE PARA O CORINTHIANS EM 2021

Deixe uma resposta