Nesta quarta-feira (16), às 20:30, o Corinthians recebe na Neo Química Arena o Red Bull Bragantino em confronto válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

ESTATÍSTICAS DO RED BULL BRAGANTINO NO BRASILEIRÃO: 

  • 1º em gols marcados (8)
  • 16º em gols sofridos (5)
  • 2º em grandes chances (7)
  • 6º em posse de bola (54.7%)
  • 6º em passes certos por jogo 
  • 5º em cruzamentos precisos por jogo (4.7)
  • 1º em finalizações por jogo (14.0)
  • 5º em dribles bem sucedidos (10.7) 
  • 3º em desarmes por jogo (15.7)
  • 5º em número de interceptações (13)
  • 6º em cortes por partida (16.7) 

A TEMPORADA DO RED BULL BRAGANTINO

A temporada de 2021 traz a consolidação do bom trabalho feito por Mauricio Barbieri no comando do Massa Bruta. No Paulistão fez a terceira melhor campanha da primeira fase, mas deu azar de enfrentar nas quartas o Palmeiras e acabou sendo eliminado num duro jogo.

Na Copa do Brasil, a equipe do interior novamente deu azar, o sorteio trouxe o Fluminense no seu caminho e a má atuação na ida custou a classificação. Porém na Copa Sul-americana a história foi diferente, conseguiu se classificar para as oitavas num dos grupos mais equilibrados da competição.

O Red Bull chega ao confronto desta quarta em busca dos três pontos, pois apesar o bom desempenho ofensivo mostrado nessas primeiras rodadas não se traduziu em resultado. O Massa Bruta deixou escapar a vitória nos minutos finais contra Bahia e Fluminense, onde mostrou falhas defensivas e na hora de finalizar as jogadas que criou.

PROVÁVEL ESCALAÇÃO

O técnico Mauricio Barbieri conta com dois desfalques importantes para o duelo contra o Timão: Claudinho e Luan Cândido. Além deles, Jan Hurtado, Alerrandro, Gabriel Novaes, Weverton e Bruno Tubarão também estão fora do jogo.

Provável escalação, segundo o GE.

SAÍDA DE BOLA

Com o passar do tempo e a consolidação das ideias, a equipe treinada por Barbieri foi variando a forma como faz a saída de bola. Em geral a ideia é ter uma saída mais sustentada com a participação dos laterais e do primeiro volante junto aos zagueiros, enquanto os meias se posicionam entre as linhas rivais e os pontas ficam abertos.

Foto: Reprodução

A questão é como isso é feito, pode ser 4+1 com o volante a frente da linha de quatro da defesa, 3+2 um dos laterais se junta aos zagueiros e outros se posiciona mais a frente ao lado do volante ou até um 3+1 com um lateral avançado mais a frente enquanto o outro fica junto a dupla de zaga. Nessa fase do jogo quem tem um papel muito importante é Léo Ortiz, devido a sua capacidade de encontrar companheiros livres com seus passes ou lançamentos.

FASE OFENSIVA

O Bragantino é uma equipe que gosta de trabalhar com a posse, mas que sabe perfeitamente castigar o adversário nas transições. Quando recupera a bola tem um ataque veloz e a capacidade de em um curto espaço de tempo chegar a área rival com vários jogadores e em alguns casos até com superioridade numérica.

Mas, apesar do volume ofensivo, é um time que peca demais na hora de finalizar as jogadas, isso vem comprometendo o resultado em algumas ocasiões.

Red Bull chegando a frente com vários jogadores no contra-ataque. Foto: Reprodução

Dois jogadores em especiais precisam de atenção redobrada por parte da defesa corinthiana: Ytalo e Lucas Evangelista. O primeiro é um centroavante que casa perfeitamente com as ideias de Barbieri pela sua capacidade de se movimentar, abrir espaços, fazer pivô e servir os companheiros. O segundo é aquele meia que vai de área a área, é importante na defesa pela pressão que faz no adversário e no ataque participa da construção e chega a frente para finalizar as jogadas quando tem a oportunidade.

Os pontas também são parte fundamental no estilo de jogo da equipe de Barbieri. A ideia é ter os laterais participando mais da construção desde trás por dentro, enquanto os pontas atuam abertos a fim de receberem em condições de usar a sua velocidade ou partir pro 1×1 contra o lateral rival.

Foto: Reprodução

FASE DEFENSIVA

Dependendo do contexto, o Red Bull Bragantino pode variar a forma como se defende, seja em 4-3-3 ou 4-4-2, mas o cenário onde se sente mais confortável é subindo suas linhas para pressionar no campo do ataque de maneira bastante agressiva. Os dois gols do último jogo contra o Fluminense nasceram dessa capacidade de forçar o erro do adversário no campo de ataque.

Pressão do Red Bull na saída de bola do adversário. Foto: Reprodução

Os zagueiros tem um papel importante dentro dessa ideia de jogar com os blocos altos, pois é preciso que sejam rápidos o suficiente para defender o espaço às suas costas, subir para pressionar mais a frente ou fazer a perseguição contra os atacantes adversários. Quando perde a bola, o Red Bull busca atrasar o adversário, preenchendo o meio-campo a fim de dar o tempo necessário para fazer a recomposição defensiva.

Red Bull preenchendo o meio na hora da transição defensiva. Foto: Reprodução

Entre Brasileirão e Copa do Brasil, o Bragantino só passou um jogo sem sofrer gol, contra a Chapecoense, sendo que foram cinco gols sofridos nas duas ultimas partidas do brasileiro. É uma equipe que demonstra dificuldades em se defender e uma bola aérea defensiva bastante frágil, além disso, junta-se o fato do goleiro Cleiton não passar confiança ao seu torcedor.

DESTAQUES INDIVIDUAIS DO RB BRAGANTINO:

Lucas Evangelista: Vive ótima fase com gols e assistências, sendo fundamental no ataque e na defesa, e sem Claudinho ganha mais ainda mais importância no meio campo.

Ytalo: Não tem o destaque de outros nomes, mas é importante demais no esquema de Barbieri pela sua inteligência, movimentação e qualidade para dar apoios ou servir os companheiros.

Léo Ortiz: Perigoso na bola aérea e fundamental na saída de bola, o zagueiro a cada temporada se destaca não só pelos seus atributos defensivos, mas também pelo que sabe fazer no ataque.

VEJA TAMBÉM:

COMO GUSTAVO MOSQUITO POTENCIALIZA O JOGO DE FÁGNER? 

Deixe uma resposta