Neste sábado (31), o Corinthians recebe o Internacional treinado por Eduardo Coudet na Neo Química Arena, às 19h. O SCCP SCOUTS separou tudo que você precisa saber sobre o nosso adversário: provável escalação, pontos fortes e fracos, destaques individuais e muito mais.

  • Acompanhe análises, dados e curiosidades do Corinthians também no perfil da SCCP Scouts no INSTAGRAM e no FACEBOOK.

O Inter chega para esse jogo ocupando a liderança com 35 pontos e a campanha de 10 vitórias, 5 empates e 3 derrotas, se postando como um candidato real ao titulo. Coudet varia a sua equipe entre o 4-1-3-2 e o 4-4-2 no momento ofensivo e defensivos respectivamente. Sob seu comando, a equipe gaúcha se caracteriza por ser ofensiva, organizada, veloz nas transições e muita intensa no momento sem a bola.

Inter no 4-1-3-2. Foto: Reprodução

Com a bola, a equipe gosta de sair desde trás e o primeiro volante tem papel importante nisso, seja recuando para formar a saída de três com os zagueiros ou avançar para servir de opção de passe mais à frente. No momento sem a bola, a equipe sabe variar entre pressionar fortemente o adversário em seu campo ou recuar suas linhas e negar espaços pelo meio.

Provável escalação do Inter. Fonte: Chosen 11

PONTOS FORTES DO INTERNACIONAL

Intensidade para pressionar sem bola

“Intensidade” é a palavra da moda do futebol brasileiro e o Inter de Coudet tem isso como uma das suas principais marcas registrada. O torcedor pode perceber isso logo nos primeiros minutos de jogo, pois o Colorado sobe suas linhas para sufocar o adversário no próprio campo de defesa, algo que ficou bem claro na partida contra o Flamengo.

Inter pressionando a saída de bola do adversário. Foto: Reprodução

Só que isso não se resume apenas quando o adversário tenta sair jogando. A pressão continua mesmo nos momentos em que o Inter está postado mais atrás. A equipe gaúcha faz uma marcação agressiva ao portador da posse colocando vários jogadores no setor da jogada, tudo isso de uma maneira muito bem organizada pelo seu técnico.

Vários jogadores atacando a área rival

O Inter gosta de deixar dois jogadores dando amplitude à equipe, geralmente os laterais. Enquanto isso, povoa a entrelinha do adversário com os meias e a dupla de ataque. Portanto, o colorado consegue colocar quatro ou cinco jogadores dentro da área para tentar finalizar as jogadas construídas pelo lado ou meio, tornando assim a vida do adversário ainda mais complicada.

Inter atacando a área com vários jogadores. Foto: Reprodução

Protegem muito bem a própria área

Manter a pressão ao adversário no campo de ataque durante os 90 minutos é algo impossível em um calendário tão exigente como o brasileiro. Por isso é importante ter o equilíbrio de saber se defender mais atrás quando necessário, algo que o Inter vem mostrando saber fazer.

Os comandados de Coudet recuam suas linhas para perto da própria área e postam-se de maneira muito compacta visando não oferecer espaços pelo funil da defesa e dessa maneira dificultar ainda mais a vida do oponente. As partidas contra Atlético-MG e Flamengo, dois dos ataques mais fortes do país, são uma amostra dessa capacidade de proteger a própria área. Não é à toa que o colorado tem uma das melhores defesas do campeonato.

Inter protegendo a área sem dar espaços. Foto: Reprodução

Capacidade de se adaptar ao contexto do jogo

Mesmo estando no comando a menos de um ano e chegando a um país novo, Coudet demonstra conhecer perfeitamente cada peça do seu elenco e a melhor maneira de utilizar elas. O Inter tem uma natureza ofensiva, gosta de pressionar alto e manter a posse de bola a fim de sufocar o adversário criando chances e mais chances de gol. Só que ao mesmo tempo, é um time que quando precisa recua as suas linhas, se fecha muito bem na defesa e aposta no rápido contra-ataque que possui.

Essa capacidade de se adaptar é um dos grandes diferenciais que tornam este Internacional tão competitivo e o coloca como real candidato ao titulo brasileiro e forte nome para as competições de mata-mata.

PONTOS FRACOS DO INTERNACIONAL

Falhas individuais dos zagueiros

Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Zé Gabriel: os três vêm se revezando na dupla de zaga colorada, mas todos vêm oscilando bastante nas últimas semanas e as suas falhas individuais estão cedendo aos adversários chances claras e gols, seja no Brasileirão ou Libertadores. Aproveitar essa instabilidade pode ser o caminho para o Corinthians sair da partida com um resultado positivo.

Espaço na entrelinha

Toda a estratégia no futebol tem os seus riscos. A partir do momento em que decide-se subir sua equipe para pressionar o adversário na saída de bola e por um acaso ele consiga avançar, ocorre que a sua defesa fica exposta contra um oponente que agora possui espaço a seu favor. O Inter em alguns momentos sofre com isso.

Quando o adversário consegue superar a pressão feita pelos atacantes e meias, encontra uma situação de igualdade ou superioridade numérica no ataque, sem contar os espaços na entrelinha ou liberdade para um lançamento atacando as costas dos zagueiros ou laterais.

Espaço para o adversário atacar quando supera a pressão do Inter. Foto: Reprodução

DESTAQUES INDIVIDUAIS DO INTER NO BRASILEIRÃO:

Thiago Galhardo (MEI/ATA): Artilheiro, assistente, decisivo e para muitos o craque do campeonato até aqui, a fase de Thiago Galhardo é espetacular. 15 gols + cinco assistência, uma média de mais de uma participação direta em gol por jogo. É o jogador mais perigoso do Inter e com Coudet possui total liberdade para se movimentar, fazer pivô, atacar as costas da defesa e liderar o colorado na busca pelo titulo.

Patrick (VOL/MEI): Caiu como uma luva no esquema de Coudet. Atuando pelo lado esquerdo, oferece ao Inter força física, capacidade de pressionar e velocidade nas transições. O meia tem três gols e duas assistências em 16 jogos.

Edenílson (VOL/MEI): Atuando como meia-central, ele tem um papel importante com e sem a bola. Na defesa é responsável por contribuir na pressão na saída de bola e por defender o funil ao lado do primeiro volante. No ataque, participa ativamente da construção das jogadas e ainda tem liberdade para chegar mais à frente.

Marcelo Lomba (GOL): Há alguns anos vem sendo regular em alto nível dando segurança à defesa colorada e nesse Brasileirão não é diferente. É o goleiro com mais jogos sem sofrer gols e as suas defesas contribuíram bastante para isso.

ESTATÍSTICAS DO INTERNACIONAL NO CAMPEONATO BRASILEIRO:

  • 16.8 desarmes por jogo (3º)
  • 8 jogos sem sofrer gol (melhor marca)
  • 30 gols marcados (3º melhor ataque)
  • 15 gols sofridos (3ª melhor defesa)
  • 40 grandes chances criadas (3º)
  • 8.5 finalizações por jogo (15º)
  • Média de 52.9% de posse de bola (5ª)
  • 23.7 bolas longas por jogo (7º)

Texto feito por Richard Militão e Jhonata Souza

VEJA TAMBÉM:

ARANA, CARLOS, PITON E MAIS: A EXCELENTE SAFRA DE LATERAIS-ESQUERDOS DO CORINTHIANS

ARANA, CARLOS, PITON E MAIS: A EXCELENTE SAFRA DE LATERAIS-ESQUERDOS DO CORINTHIANS

COPA DO BRASIL: POR QUE O TORNEIO É MUITO IMPORTANTE PARA O CORINTHIANS?

Deixe uma resposta