Neste domingo (11), o Corinthians jogará contra o Fortaleza de Juan Pablo Vojvoda no Estádio Presidente Vargas, em partida válida pela 11a rodada do Campeonato Brasileiro. Veja, nesta análise, as principais armas, pontos positivos, negativos e destaques individuais do Leão.

A TEMPORADA DO FORTALEZA

O time do Fortaleza chega para a partida contra o timão em boa fase. Apesar de ter um elenco modesto, o time cearense ocupa a 5a posição do Brasileirão, e, acima de tudo, apresenta um futebol vistoso, sempre baseado no controle do adversário através da posse e da pressão alta. Desde a chegada do argentino Vojvoda, o time perdeu poucos jogos e começou a jogar muito bem.

NÚMEROS DO FORTALEZA

  • 5º colocado (18 pontos)
  • 18 pontos: 5 vitórias, 3 empates e 2 derrotas 
  • 4o em gols marcados (18) 
  • 6º em gols sofridos (9)
  • 1º em grandes chances (27)
  • 1º em grandes chances perdidas (18)
  • 8º em posse de bola (51.8%)
  • 13º em passes certos por jogo (331)
  • 7º em acertos de bolas longas (24.8)
  • 14º em cruzamentos precisos por jogo (3.3)
  • 3º em finalizações por jogo (11.5)
  • 4º em dribles bem sucedidos por jogo (9.9)
  • 13º em desarmes (13.3) 
  • 6º em interceptações (11.8) 
  • 16º em cortes por jogo (14.8) 

PROVÁVEL ESCALAÇÃO

SAÍDA DE BOLA

Como uma equipe que busca jogar com bola, o Fortaleza de Vojvoda tem como parte importante de sua mentalidade a saída de bola. Existe, como em todas as fases ofensivas do Leão, bastante variação na estrutura, sempre com trocas de posições e mantendo as zonas pré-determinadas ocupadas. Na saída desde o tiro de meta, o Fortaleza trabalha bastante com o goleiro Felipe Alves, que tem grande qualidade com os pés.

Fortaleza
Fortaleza

Ou seja, apesar de jogarem com uma linha de 3, nas vezes que saem desde trás, Tinga vira um lateral. E o fato de Tinga ser lateral dá bastante flexibilidade na ocupação de espaços do Fortaleza nos momentos em que é feita uma saída em zonas mais avançadas, mais próximas ao meio.

O Fortaleza utiliza a qualidade de Felipe Alves com os pés para se aproveitar da bola longa, que é um recurso bastante utilizado.

Começam fazendo essa saída em 3+1 ou 3+2, com Tinga na linha de 3.

Fortaleza

Porém, conforme a situação vai se alterando, pode se transformar em uma saída estruturada 2+3 ou 2+2. Tinga vira lateral-direito e na esquerda Crispim e Felipe se revezam. Quando nenhum dos dois ocupam aquele espaço, vira 2+2. Essa flexibilidade em quem ocupa cada espaço é o principal ponto do Fortaleza na saída de bola e no ataque posicional.

Fortaleza

FASE OFENSIVA

Na fase ofensiva, em momentos de ataque posicional, o Fortaleza parte da estrutura 3-4-1-2, mas ela varia muito. O que é mais importante — e interessante — é que a ocupação de espaços do Fortaleza nessa fase é extremamente flexível. Há uma clara tentativa de realizar um jogo posicional, então os espaços pré-determinados devem sempre estar ocupados. Porém, há muita flexibilidade em quem ocupa cada espaço.

O Fortaleza povoa bastante o espaço entrelinhas e a maioria das trocas ocorre por lá. Fora do entrelinhas, na base da jogada, normalmente estão Ronald (Ederson) e Felipe. Organizam bem o jogo, principalmente Felipe, que pode construir tanto nas costas da pressão quanto lateralizado e vendo o jogo de frente. Também tem liberdade para subir e trocar de posição com os homens de frente. Vejam nessas imagens a variedade de posicionamentos de Felipe: um verso solto, um todo-campista.

Fortaleza
Fortaleza

Os alas também trocam muito de posição, com o time todo, mas principalmente com os atacantes. Pikachu, que a princípio é ala, troca com o atacante pela direita. Crispim tem bastante liberdade para construir baixo e para centralizar e construir na base da jogada. O time, coletivamente, mantém os espaços ocupados, mas individualmente há bastante liberdade. Vejam nessas imagens as dinâmicas de trocas dos alas:

Além de Crispim, Pikachu e Felipe, Tinga e Matheus Vargas também são importantes na fase ofensiva do Leão. Tinga, como dito antes, oferece várias vantagens à equipe por ser um lateral que joga na zaga. Pode subir e ganhar altura, além de poder conduzir e encontrar passes entrelinhas. Matheus Vargas, por sua vez, é o principal receptor desses passes. Troca bem de posição e sabe se colocar nas costas dos volantes, se tornando um bom e confiável receptor. Várias dinâmicas se criam para que Tinga possa encontrar passes para Matheus Vargas.

Aqui, a importância das progressões de Tinga:

Tinga pode também chegar como elemento surpresa no lado fraco do ataque:

Vale o destaque também para David. O jogador alterna entre amplitude e corredor interno esquerdo. Quando vem por dentro e atrai o seu marcador, abre o espaço para que Lucas Crispim receba a bola com liberdade aberto pelo lado esquerdo. 

Ou seja, é um time com destaques individuais de valor que compreendem bastante o jogo de Vojvoda e um time de muitas trocas de posição, mas mantendo sempre os espaços ocupados. O Corinthians pode ser confundido com essas trocas e deve tomar cuidado com as dinâmicas que Tinga dá em fase ofensiva. A nível estrutural, o time cearense varia bastante entre um 2-3-5 e um 3-2-5.

Além dessas forças em ataque posicional, o Corinthians deve tomar cuidado com as transições do Fortaleza. Em toques rápidos chegam com facilidade no gol adversário.

BOLAS PARADAS OFENSIVAS

As bolas paradas são normalmente cobradas por Lucas Crispim, o camisa 10. Nas faltas laterais/intermediárias, bate no meio da área, onde Felipe, Titi e Benevenuto se apresentam como perigosos. Crispim também leva perigo quando bate direto. 

Pikachu também bate, mas mantém o padrão de sempre buscar o meio da área.

Os escanteios são normalmente curtos com Crispim batendo, mas nas raras exceções que são longos, Crispim busca a marca do pênalti.

FASE DEFENSIVA

O Fortaleza sobe para pressionar em 3-4-1-2. Os atacantes emparelham com os zagueiros enquanto o meia central encaixa no volante. Induzem ao lateral, e quando a bola chega nele o ala do setor sobe para pressionar. Variam bastante referências zonais e individuais, às vezes com um dos médios saltando para marcar o volante adversário quando o adversário constrói com 2 volantes participativos por dentro. Definitivamente o time de Vojvoda tem a pressão como um ponto forte.

Porém, o resto da fase defensiva pode deixar a desejar. Por vezes, defendem mal o funil e por outras têm dificuldade para se defender de bolas longas.

Sendo assim, o Corinthians pode explorar a bola longa em direção ao Jô com Mosquito atacando em diagonal. Também podemos explorar as costas de Tinga, que sempre salta da linha para pressionar.

Em bloco médio/baixo, o time do Fortaleza se porta na maioria das vezes em um 5-3-2. Os alas voltam para compor a linha de 5 (Crispim na esquerda, Pikachu na direita), desconfigurando o 3-4-1-2 inicialmente utilizado para pressionar.

Fortaleza

BOLAS PARADAS DEFENSIVAS

Na marcação de escanteio defensivo, o Fortaleza marca majoritariamente de forma individual – até mesmo nos rebotes. No entanto, um jogador fica posicionado na primeira trave (Lucas Crispim, mas isso pode depender do lado da batida – como foi do lado esquerdo – o ala do setor encosta na primeira trave) e Benevenuto é o responsável por visar a bola. 

Fortaleza

Nas cobranças de faltas frontais na intermediária, o Fortaleza não entra com nenhum jogador na grande área e todos os atletas voltam para defender. Barreira + os jogadores posicionados. 

Fortaleza

DESTAQUES INDIVIDUAIS DO FORTALEZA

Felipe (MC/VOL): Felipe é um médio que entende bem o jogo de Vojvoda e atua trocando de posição por todo campo. É um construtor muito refinado vendo o jogo de frente na base da jogada e ainda consegue participar se movimentando nas costas da pressão.

Tinga (LD/ZAG): lateral de origem, Tinga foi transformado em zagueiro por Juan Pablo Vojvoda. Consegue criar vantagens a partir de conduções e consegue se desgarrar da linha de 3 zagueiros e atuar como elemento surpresa pela direita. Defensivamente cumpre seu papel.

Crispim (Ala/MEI): Crispim é originalmente um meia, mas no Fortaleza de Juan Pablo Vojvoda atua como ala-esquerdo a pé trocado (é destro). Consegue trocar muito de posição, interiorizando e até participando na base da jogada. É refinado tecnicamente e pode ajudar nas saídas curtas do Fortaleza, baixando e dando passes diagonais.

VEJA TAMBÉM:

https://sccpscouts.com/vitinho-merece-bons-olhos-no-corinthians/

Deixe uma resposta